1º de Julho

Primeiro de Julho. Primeiro dia do início do último semestre do ano. Julho lembra férias, que lembra música, que lembra viagens, alegria e tantas coisas tão bacanas que somente quem é agraciado com este período de total descanso é que sabe do que estou falando.

Quando criança minhas férias eram motivo de alegria total. Eu ficava contando os dias para viajar pro interior da minha mãe. Lá encontraria minha avó, alguns tios e tias e minhas primas, que tinha (e ainda tenho) como irmãs. Subir em árvores, comer fruta direto do “pé”, andar pelo sítio, ir comer doce de leite na venda da tia-avó, correr na pracinha da igreja matriz, visitar os amigos para poder brincar na rua. Eram momentos de liberdade plena, onde os noticiários, a pressão profissional e as grandes tragédias naturais pouco importavam. O apogeu da peraltice infantil.

Quando adolescente as férias já não tinham tanto sentido. O dinheiro para as viagens estavam escassos e a única vantagem era poder conferir todos os programas de televisão que eu mais gostava.   No máximo uma ida ao cinema durante os  trinta dias de “folga” da escola. Livros eram totalmente esquecidos por um mês inteiro.

Já na fase adulta as férias passaram a ter apenas o sentido utópico. Além de caírem sempre em períodos tidos como “nada a ver” no calendário, ainda havia um agravante: A falta total de dinheiro. Eram alguns dias, muitas vezes, querendo que eles não acabassem para não voltar a rotina chata e estressante do mundo empresarial. Dias de descanso, que mesmo com algumas intervenções da empresa, pelo menos eu podia colocar o papo com alguns amigos em dia.

As últimas férias que aproveitei de verdade foi em 2009 quando reservei quinze dias para ir á Recife, encontrar minhas primas, ir à boate que mais gosto no nordeste inteiro, e depois, curtir cinco dias maravilhosos em Maceió. Terra encantadora e por qual eu sou apaixonado. Terra de amigos que me fazem bem. Terra onde as belezas naturais retratam nada mais que a beleza de seu povo. Foram dias especiais. Únicos. Dias que não sairão da minha mente nunca mais.

E agora estamos em julho novamente, e eu, iniciando em uma nova empresa, nem sei quando poderei curtir esse “bem  precioso” novamente. Porém, enquanto este dia não chega vou me abastecendo com as boas lembranças, de um tempo que vivi e com a boa energia dos dias em que estou vivendo e com as expectativas das férias que um dia virão…

Portanto, quem está de férias..Só um recado:

APROVEITEM POR MIM, ok !!!!

Jul/ 2009 - Praia do Gunga (AL) - "E ainda teve boatos que eu estava na pior..."

Anúncios

“6º Férias no Ceará – Um Festival de Alegria”

Aqui um projeto do governo do estado do Ceará que eu adoro e que, este ano, além de trazer grandes artistas a diversas cidades do nosso estado, vai levar um grande show da Wanessa da Mata para a cidade onde morei quando criança: Mauriti. É uma oportunidade única de fugir do óbvio do Forró, não?

Quer saber a programação completa? É só Clicar Aqui e agendar a data para curtir os ótimo shows de grandes nomes da nossa música popular local e nacional.

Serviço:

Em Fortaleza:

Local: Parque do Cocó
Data: De 27/6/2011 até 31/7/2011
Horário: 20h
Grátis

Uma imagem, um Título

Férias, féria e férias. Tudo bem que só da faculdade, mas é muito bom a gente saber que vai desconectar de algo, talvez não da forma como deveria ter sido, mas pelo menos encerrar o semestre da melhor forma possível. Poderia ter doado mais de mim aos estudos. Foi um semestre que aprendi menos que deveria. Aliás, um semestre intenso, onde pude experimentar terríveis doses de apatia profissional, de inquietações, exaustão e instabilidades emocionais. Talvez sejam estas as explicações mais cabíveis. Um semestre tenso.

Fiz duas escolhas erradas. Uma por total identificação com uma história de vida, e a outra com a  amarga ilusão de uma mudança ou rápida capitalização. Da identificação com a história de vida de uma profissional surgiu, pelo menos, uma parceria para uma amiga. É a velha máxima de que não passamos pela vida das pessoas em vão. Da “ilusão” restaram mais mágoas, rancores e (sai pra lá) decepções e a certeza que alguns ciclos, depois de encerrados, jamais devem ser retomados. O ponto de partida deve ser esquecido. O foco no novo é que deve prevalecer.

Mas, agora ao que tudo indica, depois de uma terceira tentativa, parece que a máquina vai girar de vez. Essa máquina que não tem um manual definido, essa máquina cheia de peças, engrenagens e funções que cada ser humano, mecânico autodidata, vai ajustando para chegar ao melhor funcionamento. A máquina que tem um nome “engraçado”: Vida.   Essa vida que vai ensinando, e aos poucos, transformando. Mesmo que essa transformação chegue nos quarenta e cinco do segundo tempo. Ou em Junho de 2009, que poderia ser os primeiros minutos do segundo tempo. Melhor assim.

Quanto ao meu profissional, estou mais tranqüilo. Mais leve, mais terno, como disse uma professora hoje que eu aprendi a  gostar e respeitar por demais. Adorei ouvir seu “diagnóstico”. Senti uma leveza ainda maior.

As amizades estão sendo restauradas, aos pouquinhos, mas estão sendo. E isso é o que importa.  Em casa tudo está perfeito, como sempre esteve: A harmonia voltou a reinar. Só o coração que insiste em não querer pulsar forte por alguém. Putz, como é estranho ver todo mundo namorando e você “chupando dedo”.

– “Universo, eu estou reclamando (sim) do senhor. Cadê as conspirações para a minha casa afetiva? Eu “leio, leio, leio” e isso nunca acontece”? Que fique registrado aqui o meu protesto.

No mais eu espero que essa energia boa, continue. Que ela se espalhe, contaminando tudo e a todos a minha volta. No que depender de mim, vou fazer o possível pra que isso aconteça. Até postar, hoje eu tive vontade. Naturalmente, assim como gosto que as coisas acontençam.  E isso só aconteceu porque a chama a apatia deu lugar à exaltação, a excitação e ao envolvimento.

Envolver-se com novos desafios e acreditar que pode realizá-los, nada mais é que o primeiro passo rumo à satisfação. Pelo menos é nisso que estou acreditando. É nisso que PRECISO continuar acreditando. É isso…Por enquanto vou aproveitar as férias da faculdades pra trabalhar um pouco mais e colocar em prática alguns projetos bem pessoais que….

Ah, deixa pra lá…Isso é motivo para um próximo post.