Sobre tiros, violência, medo e Insegurança

 

A Rosana Hermann resumiu bem o sentimento que assolou hoje o país. Sentimento de tristeza, revolta, indignação no caso do Atirador de Realengo. Para ler clique AQUI.

Acho que só uma palavra resume tudo isso: Lamentável.

Não temos mais segurança nas escolas, faculdades, em casa, transportes coletivos, transportes privados, nas nossas ruas, praças.

Nós, cidadãos comuns, viramos alvo. O Alvo fácil.

A sociedade, a ciência e a psicologia conseguem descobrir e nomear distúrbios, comportamentos inadequados,  transtornos da vida moderna. Para cada ato um tipo de patologia, um estudo, teses e vários depoimentos.

Mas, quando será que eles conseguirão descobrir a cura disso tudo?

Quando será que descobrirão ou descobriremos a formula da paz, da convivência harmoniosa?

Quando, finalmente, beberemos todos de uma fonte inesgotável de amor ao próximo e respeito à vida?

Fonte da utopia, talvez.

Melhor: Fonte da esperança.

A gente só tem direito a se entristecer e continuar torcendo para viver um dia a cada novo dia. E continuar assim, sem saber se ficamos triste, indignados, putos da vida (desculpe a expressão) ou simplesmente esperando as próximas notícias.

E antes que a gente esqueça: Isso aqui é Brasil e não “estaduzuniduhs”, ok? O mal não está só nos outros, como é mais fácil pensar e julgar, está “em nós”.

É isso.

Desculpem o desabafo.