Chuva, Sol, Waffers e outra Calça Nº 50

Sabe quando você fica P da vida e percebe que sua raiva foi fruto de uma pegadinha de seu cérebro que tratou de esquecer uma simples operação bancária? Pois isso aconteceu comigo ontem, mas como o verbo foi usado no passado e o passado é um livro que, muitas vezes, não deve ser lido novamente, já passou.

Passou assim como a chuva que caiu desde o final da noite de ontem. Aliás, que chuva. Acordar com um friozinho não é nada mal. Mal mesmo só a “obrigação” de ir ao centro da cidade fazer umas compras. “Mal” pra quem não gosta afinal, eu ira encontrar com uma amiga que adoro e que aniversaria na segunda-feira. Não ia perder a oportunidade de revê-la e ainda comprar seu presente. Dessa vez não era uma obrigação. Caí numa pegadinha da vida ontem, agora quis apenas retribuir…

Se a chuva passou, o sol resolveu tomar de volta seu espaço. Como não levei óculos, meus olhos doeram pra valer. Ter olhos claros é complicado.  São lindos, mas complicados. Pronto, falei. Sol claro demais e um calor sem igual. Sem contar as pessoas que parecem contar os passos quando estão andando pelas ruas do centro. Ruas invadidas por ambulantes e por produtos que deveriam ser expostos apenas no interior das lojas.

Aproveitamos para almoçar juntos. Um almoço inusitado confesso. Nunca tinha almoçado pizza, mas por insistência dela topei o desafio e olhe que o desafio foi enorme. Uma pizza grande à moda da casa. Acho que comi umas cinco fatias.

Depois  acompanhei minha amiga em suas compras, aproveitei o embalo e comprei uma calça número 50 (Snif). Alas calças nº 50 me lembram duas coisas: Uma que estou engordando cada vez mais e outra a saga que vivi ano passado para encontrar uma calça jeans, tamanho 50 que ficasse justa no corpo. Trabalho duro no ano passado e fácil este ano, ou melhor, hoje. A dúvida está entre Roberta Sá ou ‘São João do Maracanaú’ . Tudo gratuito, é claro.

Agora depois de alguns waffers,  descanso de quase duas horas, uma dor de cabeça que tenho certeza que irá passar, vou pensar no que fazer hoje a noite. Tentar encaixar algum lugar ou alguma festa à minha limitada e momentânea condição, nada favorável, financeira.

Ruim de tudo isso foi desmarcar um encontro que havia planejado para o final da tarde de hoje. Mas para quem já esperou mais de dez anos por um reencontro, tenho certeza que posso esperar mais uns dias.

Agora é continuar ouvindo uma música agradável neste início de noite e pensando que eu não deveria ter devorado um pacote enorme de Waffers poucas horas depois de uma mega pizza,

Anúncios